A importância da amamentação para a saúde bucal

Saúde bucal e aleitamento materno devem andar juntos para o desenvolvimento saudável das crianças, alerta o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP)

Agosto de 2018 – Durante a amamentação, além de receber afeto e segurança da mãe, o bebê nutre-se de elementos essenciais para o seu desenvolvimento. Não é à toa que em agosto se celebra a Semana Mundial de Aleitamento Materno, o mês Dourado, pelo fato do leite materno ser o padrão ouro de alimentação, uma vez que possui as vitaminas, proteínas, anticorpos e outras substâncias fundamentais para um crescimento saudável, tendo ainda um papel importante no controle da mortalidade infantil.

Mas não é só isso. A amamentação também contribui para o desenvolvimento da saúde bucal e proporciona uma evolução adequada das funções de mastigação, deglutição, fonação e respiração.

O movimento de sucção para retirar o leite proporciona um crescimento mais harmônico do complexo maxilo-mandibular e estimula os músculos da boca e da face. É por isso que mordida aberta, sobremordida e desalinhamentos dentais são menos recorrentes nas crianças quando elas foram devidamente amamentadas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, o período recomendado de amamentação é de no mínimo seis meses, de forma exclusiva, ou seja, sem a introdução de quaisquer outros alimentos como chá, suco e água. A partir dessa fase está indicada a introdução da alimentação complementar. Deve-se estimular a manutenção do aleitamento materno até os dois anos de idade ou mais, de acordo com a vontade e possibilidade da mãe e da criança, sem esquecer que a continuidade deve ser nutritiva.

Com o início da erupção dos primeiros dentes, é fundamental iniciar a limpeza bucal com escova dental apropriada. No entanto, com relação à quantidade de flúor presente nos cremes dentais, pais e pediatras devem prestar atenção na concentração do composto, uma vez que esta muda de acordo com a faixa etária da criança.

Atualmente há uma estabilização das taxas de amamentação no Brasil – é comum o relato de mães sobre a falta de conhecimentos dos profissionais da saúde quando se trata de aleitamento materno. No entanto, é justamente esse profissional que deve colocar em prática os avanços científicos e os auxílios direcionados às mães.

Para a presidente, é importante destacar a criação e implementação de políticas públicas que auxiliem na propagação do valor inestimável do aleitamento materno, com ações que aconteçam durante o ano todo e não somente durante o Agosto Dourado, ou a Semana Mundial de Aleitamento Materno e/ou Dia Nacional da doação de Leite Humano. O cirurgião dentista deve colaborar e contribuir para que estas ações sejam efetivas.

Sobre o CROSP – O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com 115 mil profissionais inscritos. Além dos cirurgiões-dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Técnicos em Prótese Dentária, Técnicos em Saúde Bucal, Auxiliares em Saúde Bucal e Auxiliares em Prótese Dentária. Mais informações: www.crosp.org.br

0/5 (0 Reviews)
0/5 (0 Reviews)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!